Educação é Tudo!

SEJA BEM VINDO AO BLOG ONDE EDUCAÇÃO É TUDO!

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Crossfit

quarta-feira, 13 de abril de 2016

GINÁSTICA FUNCIONAL

Treinamento Funcional é um conceito de atividade física bem dinâmica e mais atrativa que as atividades ou treinos convencionais. O Treinamento Funcional é conhecido por trabalhar diferentes capacidades físicas com a combinação de vários exercícios relacionados à especificidade da vida diária. Dessa forma, realizamos um trabalho completo em todo o corpo.
Hoje, com muitos estudos sendo publicados, sabemos que o Treinamento Funcional trabalha principalmente força muscular, flexibilidade, coordenação, equilíbrio e capacidade respiratória.
Na Companhia Athletica existem diversas atividades e exercícios que trabalham com Treinamento Funcional. Para a realização dessas atividades, o professor começa com prescrições utilizando apenas o corpo. Em seguida, conforme sua evolução, ele inclui acessórios e aparelhos para que os benefícios melhorem cada vez mais.

Quem pode fazer?
Além de fatores como idade e sexo, a prática do Treinamento Funcional tem relação com o histórico de vida de cada praticante. Pessoas que, ao longo da vida, praticaram diversas modalidades esportivas e atividades físicas, certamente se adaptam melhor a ele. Mas lembre-se: antes de se submeter ao Treinamento Funcional, consulte um médico e informe ao professor qualquer restrição ou problema de saúde que existir e que possa ser agravado com a prática de exercícios físicos.
Como é feito?
Como já mencionamos acima, os exercícios serão realizados com o próprio peso corporal. À medida que o aluno evolui, aumentam-se os desafios, complementando-os com acessórios, como bosu, minitrampolim, medicine ball, kettlebell, bola suíça, plataformas de equilíbrio etc.

Quais são os benefícios?
Além da tonificação muscular, o Treinamento Funcional implica maior complexidade do movimento e envolvimento de várias capacidades físicas. Isso faz o organismo ter um gasto energético muito maior, além de trazer grandes contribuições, como melhora da flexibilidade, emagrecimento, otimização da coordenação motora, equilíbrio e condicionamento cardiorrespiratório. Isso tudo além de motivação e do aumento da autoestima.
FONTE: Cia Athletica

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Porque estamos todos deficientes em magnésio, os muitos sinais e o que fazer

Os sinais de deficiência de magnésio estão em toda parte nos Estados Unidos, se você souber o que procurar. Infelizmente, os sintomas são tão incrivelmente comuns que eles constantemente deslizam sob o radar! Quase ninguém, especialmente médicos, observam que as doenças que sofremos diariamente são realmente sintomas de deficiência de magnésio … e estamos todos pagando por isso.Simplesmente, aproximadamente cada pessoa que você entrar em contato – especialmente aquelas com um problema de saúde, mas mesmo aquelas com apenas pequenas queixas – estão sofrendo de alguma forma desta deficiência em todo o país. Incluindo você!

 
O que exatamente é o magnésio?
O magnésio é vida.
É o quarto mineral mais abundante no corpo, ao lado de enxofre (que é tão importante quanto).
Além de ser um mineral, o magnésio é também um eletrólito. “Bebidas esportivas” (também conhecidas como fraudes açucaradas) reivindicam conter eletrólitos como o magnésio, potássio e sódio, desde que os eliminamos através do suor, e suas deficiências são o que leva os atletas a enfrentar problemas comuns, como dores musculares! Mas acredite em mim – eletrólitos (especialmente o magnésio) fazem muito mais do que tratar e prevenir cãibras musculares.
Primeiro, os eletrólitos nos permitem viver, como seres elétricos que somos. Eles são responsáveis por toda a atividade eléctrica (e, assim, a condutividade do cérebro) no corpo. Sem eletrólitos como o magnésio, os músculos não podem disparar, o coração não pode bater, e o cérebro não recebe qualquer sinal. Sem mais, precisamos de magnésio para nos mantermos vivos. Assim que se não possuindo o suficiente, começamos a perder energia e condutividade. Tecnicamente, assim que tornamos deficientes, lentamente começamos a morrer, sentindo dores e mais dores no dia a dia, sentindo-nos pior ano após ano. Eu não posso enfatizar o suficiente … sinais de deficiência de magnésio estão em toda parte, basta olhar.
O magnésio é um cofator em mais de trezentas reações no organismo, necessárias para a transmissão de impulsos nervosos, regulação da temperatura, desintoxicação do fígado, e a formação dos ossos e dentes. No entanto, o magnésio mostra o seu verdadeiro poder na saúde cardiovascular. A fundação Weston A. Price escreve, “O magnésio sozinho pode cumprir o papel de muitos medicamentos cardíacos comuns: inibe a formação de coágulos sanguíneos (como a aspirina), reduz os fatores de coágulos (como a Warfarina), bloqueia a captação de cálcio (como nifedipina, Procardia) e relaxa os vasos sanguíneos (como os inibidores da ECA, tais como Vasotec) (Pelton, 2001).”
- See more at: http://essentia.com.br/porque-estamos-todos-deficientes-em-magnesio-os-muitos-sinais-e-o-que-fazer/#sthash.gnuzgutt.dpuf

Quase todo mundo tem sinais de deficiência de magnésio, mas não percebemos isso …
Os sintomas incluem:
• Constipação
• Pressão arterial elevada (hipertensão)
• Ansiedade
• Depressão
• Insônia
• Distúrbios comportamentais
• Letargia
• Memória prejudicada / pensamento
• Convulsões
• Fadiga
• Distúrbios do sono
• Dor
• Cãibras musculares
• Dor crônica nas costas
• Dores de cabeça
• Enxaqueca
• Dor muscular
• Tendinite
• Raiva
• Agressão
• TDAH
• Cérebro ‘turvo’
• Tensão
• Transtornos de ansiedade, como transtorno obsessivo-compulsivo
Tudo o que o torna tenso pode ser devido a deficiência de magnésio. Se você não pode relaxar ou não pode parar – pense magnésio!

Problemas de saúde já desenvolvidos podem estar conectados a este mineral crucial. A maioria das pessoas com QUALQUER doença crônica ou problema se beneficiam muito com a suplementação de magnésio. Isso ocorre porque a doença crônica é igual a estresse, e o estresse esgota o magnésio.

A seguir, uma lista de condições susceptíveis de ter a deficiência de magnésio como parte do quebra-cabeça:
• Síndrome de Fadiga Crônica
• Fadiga Adrenal
• Fibromialgia
• Doença Cardíaca
• Fibrilação Atrial
• Palpitações Cardíacas
• Osteoporose (sim, o magnésio é mais importante do que o cálcio para a saúde dos ossos!)
• Diabetes
• A morte súbita em pacientes com Insuficiência Cardíaca Congestiva
• Pedras nos rins
“Do mesmo modo, pacientes com diagnóstico de depressão, epilepsia, diabetes mellitus, tremor, Parkinson, arritmias, distúrbios circulatórios (acidente vascular cerebral, enfarte cardíaco, arteriosclerose), hipertensão, enxaqueca, dor de cabeça, dores, distúrbios neurovegetativos, dor abdominal, osteoporose, asma, distúrbios dependentes de stress, zumbido, ataxia, confusão, pré-eclâmpsia, fraqueza, podem também ser consequências da síndrome de deficiência de magnésio.”
–          Journal of the American College of Nutrition

Por incrível que pareça, o artigo acima referenciado menciona até mesmo distúrbios neurovegetativos como possível resultado da deficiência de magnésio. Isto incluiria comas. A produção de hormônio do estresse exige elevados níveis de magnésio e experiências estressantes podem imediatamente levar ao esgotamento completo de reservas de magnésio. Seria isto o motivo contribuinte para que comas aconteçam após acidentes/lesões traumáticas? Como eu mencionei acima, o magnésio é um eletrólito responsável por sinais cerebrais e condutividade. Sem magnésio, as pessoas em coma podem não conseguir retomar a condutividade. O diabetes é listado como outra possível consequência da deficiência de magnésio. Poderia ser este um fator também em comas diabéticos? Algo para se pensar e pesquisar mais!

Ânsias
Você tem vontade repentina de comer chocolate? Por que será que quando estressadas as pessoas desejam chocolate? O chocolate é uma das maiores fontes de magnésio.
O magnésio está associado com tantos distúrbios que a Dra. Carolyn Dean da Associação Nutricional de Magnésio dedicou um livro inteiro para discutir como ela tem tratado milhares de pacientes, com uma ampla gama de doenças, com o magnésio como componente primário. Seu livro, The Magnesium Miracle (em português, O Milagre do Magnésio), é uma leitura obrigatória se você tiver qualquer um dos sintomas de deficiência de magnésio acima relatados, ou quaisquer problemas de saúde em geral – desde que é provável que exista um componente de magnésio para tudo.

Por que os médicos não encontram deficiências de magnésio em testes?
Infelizmente, a medicina convencional não despertou para a quantidade de pesquisas que tem sido feita sobre a deficiência de magnésio. Uma das razões que a medicina está tão por fora sobre o magnésio é como ele é testado: com exames de sangue.
Os exames de sangue não fornecem QUALQUER informação sobre o magnésio … por quê? Porque o corpo controla os níveis de magnésio no sangue muito bem. Se o magnésio no sangue cai um pouco, você terá um ataque cardíaco. Assim, para evitar esta situação, o corpo rouba magnésio de todas as suas células, tecidos e ossos, a fim de manter os níveis sanguíneos constantes. Se você fizer um exame de sangue para o magnésio, mesmo as células podendo estar completamente necessitadas, os seus níveis sanguíneos se mostrariam constantes.
O pior é que o magnésio não está nem mesmo no seu sangue. 99% do magnésio está armazenado nas células que são assaltadas, enquanto apenas 1% do total de magnésio do seu corpo está no sangue. Estes testes são um completo desperdício de tempo, e eles não estão educando os médicos para esta realidade.
“Um teste de soro para o magnésio é realmente pior do que ineficaz, porque seu resultado pode apresentar uma falsa sensação de segurança sobre o status do mineral no corpo. E isto também explica por que os médicos não reconhecem a deficiência de magnésio; eles assumem que os níveis de magnésio no soro são uma medida precisa de todo o magnésio no corpo.” – Dra. Carolyn Dean, The Magnesium Miracle.

Por que somos tão deficientes?
Aqui está a versão curta da resposta: Número um, nós estamos sendo envenenados por nossa comida. Número dois, estamos cada vez mais estressados, usando nossos ‘motores’ em alta rotação e isso está nos drenando. A produção de hormônios do estresse exige elevados níveis de magnésio e experiências estressantes levam à depleção de seus estoques. Número três, estamos comendo mais açúcar do que nunca. Para cada molécula de açúcar que consumimos, o nosso corpo usa 54 moléculas de magnésio para processá-lo. Em quarto lugar, técnicas agrícolas modernas esgotam as reservas de magnésio do solo. E, por último, o magnésio é esgotado por muitos fármacos e compostos de estrogênio, tais como contraceptivos orais, antibióticos, cortisona, prednisona, e medicamentos para pressão arterial (“Drug-induced nutrient depletion handbook” Pelton, 2001). Diuréticos no café e chá (cafeína) também elevam os níveis de excreção. Ah, e por falar nisso – o fluoreto concorre na absorção do magnésio!
Hoje em dia, quase todo mundo é deficiente de magnésio – sem a necessidade de teste. Os alimentos refinados/processados são destituídos de seus minerais, vitaminas, e teor de fibra. Podemos chama-los de alimentos antinutricionais, porque eles efetivamente roubam o magnésio a fim de ser metabolizados. Quando consumidos, eles exigem que complementemos com magnésio ou estamos destinados a sofrer eventualmente devido a sua deficiência grave. Como eu disse, o açúcar é o pior criminoso. Cada molécula de açúcar que você consome arrasta mais de 50 vezes a quantidade de magnésio para fora de seu corpo.
Bem, e se você comer uma dieta saudável? Os produtos processados não são os únicos alimentos que são desprovidos de magnésio. Em geral, o magnésio foi esgotado do solo de superfície, diminuindo a ingestão dietética enquanto a nossa necessidade de magnésio tem aumentado, devido aos altos níveis de exposição a substâncias tóxicas que nos deparamos diariamente (ar, água, plásticos, produtos químicos, a lista continua!). O solo está empobrecido de magnésio por causa dos pesticidas que são pulverizados em todos os vegetais cultivados convencionalmente e da poluição mundial que afeta até mesmo os campos mais limpos. Pesticidas também matam as bactérias benéficas e fungos necessários para que as plantas convertam os nutrientes do solo em nutrientes vegetais utilizáveis pelos seres humanos.

As melhores maneiras de obter magnésio 
1. Coma alimentos ricos em magnésio cultivados em solo orgânico.
2. Tome gotas de magnésio iônico. Este é o meu novo método favorito, que eu aprendi com The Magnesium Miracle.
3. Aplique óleo de magnésio na sua pele! Esta é a segunda melhor maneira de aumentar seus níveis.
4. Mergulhe em banhos de sal de Epsom (sal amargo). Isso irá fornecer não só magnésio, mas também enxofre para o seu fígado.

  
Traduzido por Essentia Pharma
Por: Organic Olivia
- See more at: http://essentia.com.br/porque-estamos-todos-deficientes-em-magnesio-os-muitos-sinais-e-o-que-fazer/#sthash.gnuzgutt.dpuf

Higiene Bucal